Polêmicas de Ciro Gomes são o que rendem maior interesse por ele na internet, mostra levantamento

O estilo agressivo e polêmico de Ciro atrai a intenção dos internautas. (Foto: André Carvalho/CNI)

O estilo agressivo e polêmico de Ciro atrai a intenção dos internautas. (Foto: André Carvalho/CNI)

Os mecanismos de busca do Google mostram que quando o candidato Ciro Gomes (PDT) “não quer ser anjo”, ele protagoniza os episódios de maior repercussão nas internet. Levantamento* feito pelo Tribuna do Ceará no Google Trends, uma ferramenta do Google que mostra os mais populares termos buscados, aponta que as pesquisas mais recentes sobre Ciro estão relacionadas a episódios polêmicos.

Durante evento que oficializou sua candidatura na sexta-feira (20), Ciro reconheceu erros e ponderou sobre discursos. “Minha ferramenta de trabalho é a fala, posso errar aqui e ali porque nunca tive a pretensão de ser um anjo”, disse o ex-ministro.

Confira os termos mais relacionados ao nome de Ciro Gomes na internet:

1° “Sardinha”
O termo faz referência a reportagens sobre a planilha da Odebrecht, na qual Ciro teria recebido, supostamente, o codinome “sardinha”.

2° “Ciro Gomes agride”
Na busca pelo termo, aparecem diferentes episódios, como agressão de Ciro a um professor da Universidade Estadual do Ceará (UECE) em Iguatu e outra suposta agressão a um integrante do MBL, por exemplo.

3° “Ciro Gomes tapa”
O principal episódio ligado ao termo de busca é a mesma suposta agressão a um integrante do MBL, o blogueiro Arthur do Val. Em 2018, foi o episódio que mais gerou buscas em torno de Ciro até agora.

Na ocasião, em evento em Porto Alegre, o blogueiro pediu para filmar entrevista com Ciro. Após questionar o ex-ministro sobre “sequestro de Lula” e “receber o pessoal do (juiz Sergio) Moro à bala”, Ciro disse que ele era um “bobão” e deu um tapa na nuca de Val. No vídeo divulgado, não é possível saber a intensidade do tapa. O blogueiro não chegou a registrar boletim de ocorrência.

4° “Ciro Gomes Jovem Pan”
A entrevista do então pré-candidato à rádio Jovem Pan de São Paulo, em junho, repercutiu na internet principalmente por ter sido a ocasião em que chamou o vereador Fernando Holiday, ligado ao MBL, de “capitãozinho do mato”.

5° “Ciro Gomes agride Patrícia Pilar”
No Google, o termo de busca está relacionado à entrevista da atriz sobre a relação com Ciro e episódio no qual ele disse, durante as eleições de 2002, que a importância de sua então esposa na campanha estava no fato de “dormir” com ele, o que gerou críticas à época e veio a tona de novo em 2018.

Em março, Patrícia disse, em entrevista ao jornal O Globo, que Ciro “nunca foi machista” e que, na ocasião da frase, ele havia “perdido a paciência” e dado “aquela resposta infeliz”. Ela também declarou voto no pedetista. Não há referências a episódio de agressão física à ex-esposa.

Histórico

O estilo agressivo e polêmico de Ciro Gomes não é novidade. Desde que iniciou sua vida pública, Ciro coleciona episódios do gênero. Em 1988, na disputa pela Prefeitura de Fortaleza, ele acusou o então deputado Franzé Morais (PTB) ser um “picareta notório” e “ladrão”.

Em 2002, quando candidato à presidência da República, amargou sucessivas quedas nas pesquisas eleitorais após chamar um ouvinte de “burro” durante programa de rádio.

Em 2009, durante a campanha pela Prefeitura de Fortaleza na qual apoiava sua ex-mulher Patrícia Saboya contra a então prefeita Luizianne Lins (PT), Ciro disse que a Capital já tinha sido o principal destino turístico do Brasil, “e hoje viramos um puteiro a céu aberto”.

No ano passado, já como pré-candidato, gerou polêmica ao dizer, em relação à adversária Marina Silva (Rede), que “o momento é muito de testosterona”, em referência ao hormônio masculino.

Levantamento do O Globo mostra que, nos últimos 25 anos, 50 pessoas já processaram Ciro por calúnia, injúria, difamação ou pediram indenizações por danos morais após declarações do pedetista.

*As informações foram consultadas na manhã de 23 de julho, usando as palavras “Ciro Gomes”, identificado como “político”. 

Mais notícias