Passe livre proposto por Elmano vai causar desconforto na gestão de Sarto

O programa de passe livre de Caucaia é o maior do Brasil: isso joga pressão por políticas semelhantes sobre a Prefeitura de Fortaleza.

A ponte dos ingleses, que não representa prioridade nem do Governo e nem da Prefeitura de Fortaleza (a não ser no blá-blá-blá quase juvenil de alguns), é o menor dos problemas a serem discutidos na primera reunião executiva entre Elmano de Freitas e José Sarto, marcada para a manhã desta quarta-feira, 02.

Talvez nem sequer o tema entre em pauta. No entanto, há um ponto quente que não se sabe ao certo se será discutido: o passe livre no transporte de ônibus na Região Metropolitana de Fortaleza.

A coisa tende a ficar ruim para a Prefeitura de Fortaleza. Algumas cidades, como Caucaia (passe livre total), Maracanaú e Eusébio já estão com programas nos quais o serviço de ônibus no âmbito de seus territórios é, de alguma forma, gratuito.

Agora, com o programa prometido por Elmano de Freitas na campanha eleitoral, o Estado vai bancar o trannsporte grátis ou com custo muito baixo entre as cidades da RMF. Naturalmente, haverá pressão sobre a Prefeitura de Fortaleza, que não tem políticas semelhantes para seus cidadãos.

Imaginem a situação: o usuário do transporte sai de um bairro de Caucaia com passe livre e vai para o ponto da cidade que disponibilizará ônibus com tarifa zero para Fortaleza. Na Capital, chega no Centro e vai em busca de outro ônibus para o Papicu. Nesse momento, com passagem inteira.

Naturalmente, o desconforto que isso causará a Sarto será politicamente usado.

Mais notícias