Em artigo, reitor do ITA destaca cursos que serão implementados em Fortaleza e parcerias internacionais

Base Aérea de Fortaleza. Foto: Divulgação

O reitor do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), Anderson Correia, destacou os cursos que serão implementados em Fortaleza. Entre eles está a Engenharia de Energia, com foco nas energias renováveis.

Em artigo publicado na rede social LinkedIN, ele defende a implementação do campus na Base Aérea, além de rebater críticas.

Leia abaixo o artigo do reitor 

“Eu gostaria de aproveitar esta mensagem para resumir alguns pontos que estão sendo pensados para o Câmpus do ITA em Fortaleza, como forma de garantir a excelência do ensino para este projeto, o qual tem meu apoio. Estes elementos foram reforçados pelo Diretor do DCTA em apresentação recente no encontro anual da AEITA – Associação de Engenheiros do ITA. São eles:

1. Cursos diferenciados voltados para a vocação regional

Engenharia de Energia, com foco em energias renováveis, atividades onde o Estado do Ceará tem protagonismo, como eólica, solar e projetos na área de hidrogênio-verde. São temas que demandarão profissionais de alto nível no médio e longo prazo.

Engenharia de Sistemas, já que o setor de energia envolve muita engenharia de sistemas. Adicionalmente, sabemos que o entroncamento das fibras óticas do Brasil ocorre no Ceará, o que oferece oportunidades para desenvolvimentos na área cibernética, para garantia e segurança dos sistemas.

2. Vestibular unificado e Fundamental conjunto

As vagas de SJC e de FZ serão oferecidas em um mesmo vestibular, o que garante que todos alunos passem pela mesma peneira. Na sequência, está sendo proposto que os alunos cursem os 2 primeiros anos no Curso Fundamental já existente em São José dos Campos, até mesmo para que a cultura Iteana desenvolvida ao longo de sete décadas seja compartilhada aos novos alunos.

3. Moradia no Campus

Assim como nas melhores universidades dos Estados Unidos que abrigam seus alunos no Campus, em Fortaleza não será diferente. Está sendo pensado o alojamento para lá, da mesma forma que temos em São José dos Campos, desde a criação da escola.

4. Cooperação Internacional

Várias parcerias já praticadas pelo ITA serão estendidas ao Câmpus de Fortaleza, pois teremos um só ITA. A ideia é que os alunos de graduação e pós-graduação desfrutarão das mesmas parcerias já desenvolvidas, como intercâmbios e duplas titulações.

Há outros elementos, que estão sendo trabalhados, o que permitirá o pleno desenvolvimento destes cursos no Ceará.

Sobre uma crítica que ouço recorrentemente, ao mencionar que o Câmpus perderia sinergia por estar distante da Embraer, discordo veementemente. Em primeiro lugar, porque foi a presença do ITA em 1950 que deu suporte à criação da Embraer em 1969 e não o contrário. Neste sentido, o Câmpus do ITA em Fortaleza, em conjunto com as demais instituições universitárias do Estado do Ceará, podem fomentar a criação de startups e novas indústrias, assim como ocorreu no passado. Além do mais, o foco do Câmpus será em energia, o que demandará proximidade com a área industrial energética, o que já vem sendo trabalhado para o Estado do Ceará, sem detrimento às potenciais parcerias com a Embraer, que inclusive poderão ser desenvolvidas em conjunto com o ITA de SJC.

Gostei de uma frase do Brigadeiro Medeiros, parafraseando Ozires Silva: “O Brasil é grande demais para ter somente um Câmpus do ITA”.

Sucesso e vida longa ao Câmpus do ITA em Fortaleza.”

Mais notícias