Projeto Sertão Vivo beneficiará 63 mil famílias de agricultores no Ceará

Foto: Divulgação

O governador Elmano de Freitas participou, nesta terça-feira (24), em Brasília, do lançamento do Projeto Sertão Vivo, ação do Governo Federal que tem o objetivo reduzir a mudança climática, fortalecer a agricultura familiar, aumentar a produtividade e combater a fome no Nordeste. O investimento total é de R$ 1,775 bilhão, sendo R$ 252 milhões destinados para o Ceará, beneficiando mais de 63 mil famílias. O evento contou com as presenças do presidente Lula; do vice-presidente Geraldo Alckmin; do presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Aloizio Mercadante; entre outras autoridades.

Elmano de Freitas destacou o aporte financeiro para os agricultores cearenses, lembrando que os produtores não terão que pagar nada pelo valor. “Poderemos apoiar, desde a capacitação, a produção e a comercialização dos alimentos produzidos por essas famílias de agricultores. Isto também poderá ser utilizado pelas cozinhas do Ceará Sem Fome. Esse apoio por parte do Governo do Estado é de bastante importância para essas famílias em vulnerabilidade, sobretudo em momentos de dificuldade hídrica”, disse.

Dos R$ 1,775 bilhão investidos no programa, R$ 1 bilhão provém do BNDES e R$ 475 milhões vêm do Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA), agência das Nações Unidas, e do Fundo Verde para o Clima, também ligado às Nações Unidas. Os valores repassados para os nove estados do Nordeste foram determinados de acordo com quatro critérios: pobreza rural, vulnerabilidade climática, insegurança alimentar e disponibilidade hídrica.

Ao todo, 1,8 milhão de agricultores serão apoiados em toda região. De acordo com Aloizio Mercadante, a política inédita trará um salto de qualidade para o Nordeste. “Não é só um projeto social. É um projeto estratégico para o Brasil. Estamos beneficiando pessoas que vão melhorar de vida, aprender, isso vai para dentro das escolas também. Vamos dar um salto de qualidade histórico”, comentou.

Mais notícias