Pesquisar
Pesquisar
Close this search box.

Não subestime a Diabetes. Por Dhiãnah Santini

Dhiãnah Santini é endocrinologista e docente do Instituto de Educação Médica (IDOMED). Foto: Divulgação

Recentemente, em 26 de junho, celebramos o Dia Nacional do Diabetes, uma data dedicada à conscientização sobre uma das doenças crônicas mais prevalentes no Brasil. Segundo dados recentes do Departamento de Saúde Pública, o número de brasileiros com diabetes atingiu a marca de aproximadamente 20 milhões. Esta estimativa é baseada no último levantamento do Vigitel, que indicou uma prevalência de 10,2% de diagnóstico autorreferido de diabetes entre os habitantes das 27 capitais do país.

Como endocrinologista, me sinto no dever de alertar para o quanto a conscientização sobre o diabetes é essencial para a promoção de uma sociedade mais saudável e informada. Como o diabetes tipo 2 é uma doença silenciosa e a mais comum, os sintomas podem demorar anos para se manifestar ou quando presentes já está numa fase avançada da doença. O diagnóstico e tratamento precoces são cruciais para prevenir complicações e aumentar a expectativa de vida. Todos os adultos acima de 45 anos devem fazer o rastreamento do diabetes tipo 2, assim como jovens com fatores de risco, como sobrepeso, hipertensão, colesterol alto e histórico familiar de diabetes.

A importância das campanhas de conscientização não pode ser subestimada. Elas desempenham um papel vital em educar a população sobre os sinais de alerta do diabetes e sobre a importância de exames regulares. No diabetes tipo 1, os sinais são cansaço extremo, perda de peso inexplicável, fome e sede intensas, urinar com frequência, visão embaçada e irritabilidade. No diabetes tipo 2, a progressão é mais lenta e os sintomas podem ser menos perceptíveis. Para o diagnóstico, exames como a curva glicêmica, glicemia de jejum e hemoglobina glicada são fundamentais.

Além do diagnóstico, o tratamento eficaz do diabetes envolve uma combinação de mudanças no estilo de vida, medicação e monitoramento contínuo. A educação do paciente sobre a importância da alimentação saudável, a prática regular de exercícios físicos e o controle do estresse é essencial. A adesão ao tratamento é outro ponto crucial, e aqui, novamente, a conscientização desempenha um papel central, ajudando os pacientes a entenderem a importância de seguir as recomendações médicas e manterem um acompanhamento regular.

No Brasil, onde a prevalência do diabetes está em constante crescimento, a necessidade de uma abordagem abrangente e integrada é mais urgente do que nunca. A conscientização pública não apenas ajuda na detecção precoce e no controle da doença, mas também reduz o estigma associado ao diabetes, encorajando os indivíduos a procurarem ajuda médica sem medo ou vergonha.

Em resumo, a conscientização sobre o diabetes é um pilar fundamental na luta contra esta doença crônica. Através da educação, campanhas e rastreamento, podemos identificar e tratar o diabetes de forma mais eficaz, melhorando a qualidade de vida de milhões de brasileiros, evitando as suas complicações. Neste Dia Nacional do Diabetes, reforçamos nosso compromisso com a saúde pública e com a promoção de um futuro mais saudável para todos.

Mais notícias