Luizianne: “Qual objetivo do presidente do Senado adiar a CPI do MEC para depois das eleições?”

Foto: Luis Macedo/Câmara dos Deputados

Equipe Focus
focus@focus.jor.br

Marcelo Castro (MDB-PI), presidente da Comissão de Educação do Senado, afirmou que “não há motivo” para instalar a CPI do MEC para depois das eleições, em outubro deste ano.

“Todos os governantes temem a CPI, ainda mais em ano eleitoral, isso é evidente. Agora, não há motivo para deixar a CPI do MEC para depois das eleições”, escreveu o senador em suas redes sociais.

“Qual objetivo do presidente do Senado adiar a CPI do MEC para depois das eleições? Já foi protocolada e aceita. Instalação já. O povo quer saber o que o desgoverno está fazendo com o dinheiro da educação”, se manifestou Luizianne Lins (PT), também em suas redes sociais. 

Ambas as publicações surgiram depois do anuncio do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), que informou que fará a leitura em plenário dos requerimentos para criação da CPI. A instalação, no entanto, só deve ocorrer após as eleições.

Mais notícias