Pesquisar
Pesquisar
Close this search box.

“Luizianne está sofrendo violência política de gênero dentro do PT?”, provoca Sargento Reginauro

Foto: Divulgação

Durante a sessão plenária realizada nesta terça-feira (5), na Assembleia Legislativa (ALECE), o deputado estadual Sargento Reginauro, comparou as movimentações do bloco petista para o executivo municipal de 2024 com a decisão do PDT, que retirou a ex-governadora Izolda Cela da disputa governamental em 2022. Tal comparação é feita, tendo em vista que, nos bastidores, a candidatura do presidente da ALECE, deputado estadual Evandro Leitão, pelo partido, já está “carimbada”.

“À época, o PDT foi acusado por violência política de gênero, por ter decidido em votação durante convenção que o candidato do partido seria o Roberto Cláudio e a Izolda foi colocada em segundo plano. Então, podemos considerar que a deputada Luizianne Lins está sendo vítima de violência política de gênero? Já que estão todos dizendo que o candidato do PT é o Evandro Leitão?”, questiona Reginauro, ao relembrar que Luizianne já lançou candidatura sem apoio do partido, inclusive, foi eleita prefeita de Fortaleza em primeiro turno (2004).

Em seu pronunciamento, o deputado cita ainda que, apesar de criticar a escolha do PDT, o Partido dos Trabalhadores (PT) escolheu Elmano Freitas para concorrer ao executivo estadual. “Agora, de novo, o partido tem duas pré-candidatas: Larissa Gaspar e Luzianne Lins, mas o presidente Lula veio a Fortaleza e disse que ‘não tem problema lançar recém-filiado como candidato a prefeito’. PT está perdendo sua identidade e entrando naturalmente em contradição”, salienta Reginauro. Atualmente, Evandro está sem partido, porém foi convidado a se filiar ao PT e ao PSB, partidos aliados do seu grupo político.

Conforme o líder do União Brasil na Casa, Evandro Leitão tem legitimidade para ser candidato por qualquer sigla, porém desafia: “Quero pagar pra ver o resultado da convenção do PT que certamente vai apresentar uma candidatura, mas vamos ver se vai honrar com a própria história!”, conclui.

Mais notícias