IBGE revisa Censo e amplia número de domicílios e de habitantes no Brasil

Foto: Divulgação

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) informou que a revisão conduzida nos dados populacionais obtidos pelo Censo Demográfico 2022 resultou em pequenas alterações nas estimativas de 566 municípios. Os ajustes também atingirão as divulgações já feitas para as populações quilombolas e indígenas, mas ainda não há data para publicação das revisões sobre os dados desses grupos especiais do levantamento censitário.

Em 31 de agosto deste ano, o IBGE já tinha informado que a população brasileira totalizava 203.080.756 pessoas entre 31 de julho e 1º de agosto do ano passado, 18,244 mil pessoas a mais que as 203.062.512 informadas pelo instituto quando divulgados os dados definitivos do Censo Demográfico 2022, em 28 de junho de 2023.

O IBGE explicou que as informações disponíveis até então tinham como referência os dados apurados até o dia 28 de maio deste ano, quando já tinham sido identificados alguns problemas pontuais na coleta que apontavam para a necessidade de correção, mas que não puderam ser tratados a tempo para a divulgação prevista na ocasião.

Uma segunda apuração foi feita entre 29 de maio e 7 de julho deste ano, que elevou marginalmente a população do País, mas também o número de domicílios recenseados. O total de domicílios subiu de 90,688 milhões entre a apuração divulgada em 28 de junho para 90,705 milhões na atual divulgação, 16,561 mil a mais

“Alguns municípios necessitaram que recenseadores fossem lá corrigir o seu trabalho, fazer as revisões de forma correta”, explicou gerente técnico do Censo, Luciano Duarte. “Alguns recenseadores coletaram questionário fora da sua área de trabalho. Então eles (os questionários) tiveram que ser transferidos geograficamente”, acrescentou.

Um terceiro elemento das revisões foi a etapa de avaliação de duplicidades e possíveis inconsistências em questionários, que passaram a ser considerados após novo exame.

“Essa revisão que a gente fez, ela é uma revisão pontual. Foram pequenos ajustes, coisa bem localizada em alguns municípios, e que elas não têm como objetivo trazer qualquer tipo de correção em função de uma possível subenumeração, se é que houve”, frisou Duarte.

O pesquisador anunciou que o instituto divulgará em breve o relatório produzido pelo grupo de especialistas externos convidados para avaliar a qualidade do Censo Demográfico 2022. Os especialistas já teriam apresentado ao IBGE, em seminário, suas observações e críticas.

“Provavelmente, a gente vai estar divulgando os resultados da análise desses especialistas em breve. Talvez mês que vem, ainda não tem uma data definida. Mas isso vai ser publicizado”, garantiu Duarte. “É um material independente. Esses especialistas foram convidados, eles tiveram acesso aos dados do Censo para fazer essa avaliação.”

Duarte frisou que todo censo tem subenumeração, mas que, se o instituto avaliar que houve uma possível diferença significativa, isso poderá ensejar uma revisão detalhada.

Ele acrescentou que o instituto também faz uma pesquisa de pós-enumeração para confirmar os dados coletados em campo novamente, com base em amostras, que já está em etapa de apuração e validação. “Isso vai nos trazer alguns elementos aí para a gente formar uma ideia dessa possível diferença. Então isso (nova revisão) não ficou descartado.”

Agência Estado

Mais notícias