Pesquisar
Pesquisar
Close this search box.

HGF é o hospital mais lembrado entre os cearenses, aponta pesquisa

Foto: Divulgação

O Hospital Geral de Fortaleza (HGF), equipamento da Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa), é o hospital mais lembrado pela população cearense, de acordo com a pesquisa Anuário Datafolha Top of Mind 2024/2025, realizada pelo Jornal O Povo. O HGF foi mencionado por 18,7% do público, levando a unidade a conquistar, pela primeira vez, a liderança isolada na categoria.

“Do último ano para cá, o Hospital Geral de Fortaleza avançou 11 pontos percentuais nas menções, passando de 7,7% para 18,7% das respostas. Esse índice era de 10% em 2022, 12,7% em 2021 e 8,3% em 2020”, destaca a publicação impressa do Jornal O Povo desta segunda-feira (8).

Diretora-geral do hospital, Ivelise Brasil recebeu a notícia com satisfação. “Existe um trabalho contínuo sendo realizado junto à Sesa para execução de estratégias e ações de fortalecimento da nossa assistência. E esse resultado mostra que estamos no caminho certo”, pontuou.

“Entre as ações, destacamos o aumento da oferta e da diversificação de serviços especializados, que já é uma realidade; o aumento de pessoal, com o concurso que tivemos recentemente, um dos maiores da história do Ceará; e o investimento em tecnologia de ponta, que proporciona maior precisão no diagnóstico e no tratamento dos pacientes”, acrescentou a gestora.

O HGF é o maior hospital da rede pública do estado do Ceará e um centro de referência em assistência de alta complexidade. A unidade hospitalar da Rede Sesa oferece 33 especialidades médicas e 64 subespecialidades, com destaque para Neurologia, Neurocirurgia, Oncologia, Cirurgia Vascular, Oftalmologia, Reumatologia, Nefrologia, Ortopedia e Obstetrícia de alto risco.

Com 55 anos de funcionamento, o hospital tem mais de 500 leitos, incluindo enfermarias, emergência, obstetrícia e unidades de terapia intensiva (UTI) adulto e neonatal. Mensalmente, o HGF realiza em média mais de 20 mil atendimentos ambulatoriais, 800 cirurgias (eletivas e emergenciais) e 220 mil exames laboratoriais.

Mais notícias